07 outubro 2015

Tô lhe escrevendo...


- Leia ouvindo Kathryn Dean- City of Angels -


Quando decidi lhe escrever isto, já não doía lembrar de você. Engraçado, jurei que isso não passaria.
Por varias vezes eu tentei me libertar daquelas malditas lembranças que me prendiam a você. Foi em vão. Eu não consegui.

  As vezes acho que deveria ter lhe dito tudo aquilo que guardei só pra mim. Talvez eu devesse ter lhe contado tudo aquilo que me causava medo. - E eu nunca o fiz-.
Eu sei, não fui o que cê esperava. Ou talvez até fui! Mas tudo tem um prazo de validade e eu custei a entender isso.




  Eu amava escrever e lhe implorava pra que pelo menos uma vez, tivesse me escrito algo... Naquela época, até um "eu te amo" num pedaço de papel sequer teria servido. Eu amava batom vermelho, - você odiava ser marcado por eles-. Eu amava prestigio, você, serenata. Eu detestava dançar, mas já quis dançar com você. Eu era furacão, você uma simples calmaria. E meu querido, cá entre nós, mar calmo nunca fez bom marinheiro.


  Eu demorei a voltar a confiar nas pessoas. Doeu ouvir aquela nossa -ex- música durante dias seguidos. Doeu ter visto todas aqueles sorrisos nas nossas fotos. É meu ex amor... Doeu. Não dói mais.
 Tô escrevendo pra lhe contar que vou cursar psicologia um dia. Pra dizer que eu amava café amargo e abraços inesperados. E você nunca notou. Tô escrevendo pra lhe dizer que estou muito feliz por você. E não, não estou sendo hipócrita. Eu te quero bem. Bem longe de mim.


Tô escrevendo pra contar que minha vida não parou quando cê decidiu ir embora. Tô escrevendo pra contar que conheci um cara que ama música, ama dançar, ama ser marcado por batom vermelho, enquanto cê detestava. Tô escrevendo pra lhe agradecer. É. Agradecer! Você ter ido embora me fez um bem danado! Aquela menininha inocente foi embora e deu lugar a uma mulher que sabe o que quer.

Tô escrevendo pra lhe contar que nunca acreditei no "eu não quero nenhuma outra" e muito menos no teu ultimo eu te amo. Tô escrevendo pra contar que o tempo sim é a cura. Pra contar que cê não faz falta. Que não vou conseguir apagar as lembranças nunca e que com certeza, você também não. Quero que elas te atormentem durante um longo tempo assim como fizeram comigo.

Tô escrevendo pra dizer que -um dia- eu quis que você tivesse tido um pouco mais de vontade de mim. E agradecer por não ter tido.

                                               Tô escrevendo pra contar que eu te esqueci.

6 comentários:

  1. Oi Talita! É minha primeira vez por aqui :D Olha gostei muito do texto e a situação que você descreveu já aconteceu comigo, sabe, às vezes o que acreditamos que nos faz bem e nos torna alguém melhor.. na verdade não faz e que somos pessoas melhores quando essa companhia já não esta mais presente.

    http://descobrinasentrelinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente, seja MUITO bem vinda ao blog! <3
      Realmente, somos melhores sem! hahaha
      Volte sempre, sua linda! <3

      Excluir
  2. Meeninaaa! Só agora tive tempo pra comentar, mas que texto sensacional! Ele gosta de prestígio, ela de serenata, e eu tô choquita! haha Brincadeiras à parte, achei incrível como você descreveu direitinho uma situação pela qual eu também passei. Um abraço!

    Elas por Elas - Projeto Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho! Volte sempre lindona! Grande abraço! :*

      Excluir
  3. Você tem 17 anos com cara de mulherão, e eu aqui com 19 com cara e tamanho de criança. Triste vidaa...
    Adorei o texto! <3
    www.alomoca.com.br

    ResponderExcluir

Oi!♥
Comente sempre! Seja um membro ativo!
Amo responder comentários!