30 maio 2016

Volta logo, amor

    



Cê dá as costas e mesmo sabendo que eu vou te ver em breve, a saudade dói. A verdade é que ela dói uma hora antes só pra dar tempo de sentir tudo. E ela começa a machucar aos pouquinhos.
   E eu sofro de saudade. Uma saudade tão grande que eu nem sei d'onde vem.

Seu cheiro ainda está no meu corpo. Nas minhas roupas. Ainda vejo teus olhos serenos a me fitar.          Ainda consigo sentir tua respiração e ouvir teu coração. E quando fecho os olhos ainda consigo te ter aqui. É quase um consolo a falta que cê me faz. Não está aqui, mas é como se estivesse.

   Escrever sobre você é um vício. Me perdoe por te amar tanto. As vezes peço aos céus pra que não enjoe desse meu jeito. É que não nasci pra me doar pela metade. Eu sinto demais. E esse talvez seja um problema.

E perto de você eu sou sempre "demais". Sentimental demais. Carinhosa demais...
Falar dessa forma clichê só prova o que preciso dizer, eu nasci pra transbordar. E vou acabar me afogando nesse amor. Só espero que esteja lá no fundo pra me segurar.
   E então quando cê me abraça eu seguro o choro e finjo ser forte, porque sei que se eu começar a chorar, não vou parar mais.

19 maio 2016

A garota que você deixou para trás

-foto reprodução google-


Nunca quis acreditar que as pessoas mudam. - mas já quis muda-las por mim.- E assim provavelmente vai nascer mais um texto escrito num desses dias cinzas onde tudo não passa de uma bagunça. Parei pra observar como estamos sempre em busca da perfeição e esquecemos que, não somos perfeitos! E nem iremos ser.
Somos programados pra cair. Pra chorar. Pra magoar, mesmo que não seja a intenção. E olha só, tenho 18 anos nas costas e hoje eu não realizei um terço do que jurei que faria quando chegasse nessa idade.
Eu cresci e fui me afastando de quem eu era. Conversando com uma amiga, pensei em como eu me sentiria se encontrasse aquela menina de 13 anos atrás. E não consegui não chorar.
    -Provavelmente, destruí 3, 4 sonhos dela. Contei pra ela que papai noel nunca existiu e que, príncipes encantados também não. Que as pessoas vão fingir que nos amam porque no fundo todos querem alguma coisa. E ainda bem, poucas pessoas vão nos amar por puro amor mesmo. Que ela não se tornaria bailarina, princesa ou fada de um desses castelos que encontramos sem querer, na nossa imaginação. Que ela ia confiar em quase ninguém e que as pessoas que ela mais amava, iam decepciona-la. Que ela ia se apaixonar por um babaquinha que quebraria o coração dela em mil pedacinhos e que outro babaca ia aparecer e fazer o mesmo. Que ela ia passar uma imagem de forte. Segura. E que vai desejar nunca sair da cama. Que vai crescer e a cada ano carregar um peso nas costas cada vez maior. Que as crises de choro irão se tornar frequentes e que essa dor, por mais que tente, não passa. Que caralho, ela vai segurar o choro muitas vezes e isso vai doer mil vezes mais. Mas que vai acabar chorando até se uma coisa boba acontecer. Que o ponteiro de escape dela vai ser escrever e que ter 18 anos não é tão bom assim.-
    Cheguei a conclusão de que a garota que eu deixei pra trás, não ia desejar se tornar quem se tornou.

08 maio 2016

sobre essas pessoas que ficam

    
Via tumblr


     Eu já fui uma dessas pessoas que vão embora e surpreendam-se: eu fui porque quis. Porque estava cansada. Porque deixar algo virar nó e tentar desatar, não é fácil. Fui embora talvez, porque pouco me importava o que sentiam. O que pensavam.
     Fui embora numa dessas tardes frias e sem olhar pra trás. Doeu, e muito. Mas ninguém precisava saber. Fui embora depois do ultimo beijo.
     Fui embora quando já olhei nos olhos e quis dizer tudo que me entalava. - E não o fiz-. Fiquei de longe vendo o quanto eu não fazia falta e aos poucos essas pessoas também deixaram de fazer falta.
    Sabe qual é o problema? A gente culpa os outros por terem ido e não fizemos nada para que ficassem. A gente também vai embora e não olha pra trás.
A verdade é que não fui feita pra ficar pressa. Fui feita pra me sentir livre. Gosto da inconstância. Gosto de numa tarde chata qualquer, sair por aí sem rumo certo.
   Vez ou outra, alguém vai aparecer e ficar. Não vai ter desculpas. Não vai te fazer sentir insegura.
Quem quer, vai te achar a garota mais incrível do mundo e vai amar te ver com seu batom favorito.
Não vai se importar se você alisa o cabelo e do nada resolve deixar toda química pra trás.
    Não vai se importar de te ver com outras pessoas porque ele vai saber, você é dele. Vai te dar a mão e cês vão caminhar juntos, -mesmo sem ter certeza de pra onde-.
    Vai amar teu riso, tua cara de sono ao abrir a porta, o jeito que olha quando finalmente se reencontram. Vai amar o encontro da pele dele, com a tua.

Vai saber que você ama voar e ele te dará asas.

12 abril 2016

Um texto sobre esse tal tempo


-Foto reprodução do tumblr elev-ar
leia ouvindo Say something

Essa semana estive rindo do quão boba eu era. Achava que no fundo, ninguém partia totalmente. Que algo ainda o prendia e percebi que eu te deixei ir. Eu assinei a carta de alforria quando te mandei embora e disse que nunca mais me veria. Que você não foi nada importante e que não doía.
A verdade é que no fundo, doeu. E cada dia foi doendo mais um pouquinho. A verdade é que a gente quando se machuca, precisa aprender tudo novamente. Como se respira -devagar-, ou como se anda. Como se anda sem olhar pra trás.

Decidi escrever isso porque hoje acho engraçado o quanto você me machucou e o quão forte isso me fez. E não se ache incrível por isso. Você não é. No começo doeu e com o tempo foi doendo cada vez menos. Fui voltando a sorrir e a lembrar menos de você. Ou do quanto eu ria das suas idiotices. Rio de pensar que eu nunca mais ia me apaixonar e de ter me trancado pra não deixar isso acontecer. Com o tempo as pessoas foram parando de perguntar por você e lembro-me que na ultima vez que perguntaram, eu gargalhei e disse friamente:
- Não me importa mais. Deixei ir embora e não o quero de volta. -E não doeu.-

Admito. Eu tinha ódio de você ou talvez do quão idiota eu já fui. Porque acreditar que cê era um príncipe foi demais. Quando cê não era nem sapo. Tive raiva de quando você precisou eu estive ali e quando eu precisei, pouco lhe importou.
Sinto raiva de tudo que eu não coloquei pra fora e das lágrimas que eu engoli quando perguntavam se eu estava bem. Porque o que eu queria era chorar.

Agradeço por você ter esperado mais de mim e ter me feito ver que cê não merecia nem o pouco que eu lhe dava. Fomos aquilo que quase deu certo. Seus pais ainda me adoram e acho que sua vó também.

Vejo que o comodismo não foi o culpado. Mas o seu exigir muito de mim sem se doar nem a metade. Com tudo de ruim que houve, não posso apagar as partes boas porque mesmo sem querer, elas ficaram. E creio que vez ou outra, você ainda lembre. -Porque eu não lembro mais-.

Obrigado por ter me feito ver que não adianta estar presa a alguém que não faz mais bem. A valorizar as coisas boas que eu tinha. E quem eu era.
Essa semana constatei o que eu já esperava: você não me atinge faz tempo. Alguém achou teu Facebook -que eu fiz questão de esquecer, assim como teu número- e eu ri ao ver tuas fotos. Eles te zuavam e eu ria de como um dia eu pude gostar de alguém assim. Não sinto mais o ar preso nos meus pulmões toda vez que tocam seu nome. Engraçado como o tempo realmente é a cura.

29 março 2016

Do not let me go


- Um café. Quente, por favor!

Eu sei. Sei o quanto o "isso passa" é clichê. Sei também que tem muita coisa a ser dita. Sei que ta doendo e que vai continuar doendo. Sei que sou um mar de melancolia, e vou continuar sendo. Porque eu simplesmente não consigo deixar as coisas doerem e irem embora.
  Sei também que essa dor vai continuar me remoendo e eu não vou mover uma palha pra mudar isso. Porque o meu orgulho fala mais alto.
O problema é o meu dom de ver tsunami onde só existe um copo d'água. O problema é o teu dom de querer estar sempre certo. E caralho! Vai continuar assim porque ninguém vai fazer nada pra mudar isso!
Eu sei que deve tá doendo em você, tanto quanto tá em mim. Sei também que você deveria ver os dois lados de uma coisa e abrir tua cabeça. Sei que a gente se gosta e sei que isso não tá parecendo ter tanta importância.

Não sei se você me entenderia. Eu entendo tudo que fomos e somos.  E você deveria tentar entender que querer estar certo sempre, não vai te fazer mais feliz. O que você acha que acontece quando as estrelas morrem? Ou quando as pessoas juram ficar e partem?
 Uma vez pedi que desejasse algo com vontade quando deu 00:00. Dizem que quando a gente deseja de coração, certas coisas se realizam.

 O problema é que tá doendo. Que vai continuar doendo. Que esse barco vai acabar afundando e você sequer tá tentando tirar a água que tá entrando. O problema é que você não mede o que diz. Que essa sua vontade de estar sempre certo vai acabar destruindo a gente. É triste saber que a gente tá se requentando. Que há coisas que eu não deveria ter dito e que nunca queria ter escutado.

Antes de tudo, eu só quero que preste bem atenção nisso:
Não vai ser achando que tem o controle que vai me fazer ficar. Não vale a pena ter sempre razão. Pelo menos uma vez tente abrir a cabeça e ver os dois lados. Não vale a pena vir com 7 pedras quando já se errou. Não vale querer julgar quando não se tem razão. Sabe por quê? Continue achando que tem toda a razão que eu continuo de cá calada também.
Porque eu não tenho razão e muito menos você. Porque se eu errei, você também errou. Porque a gente vai acabar afundando e só você não tá vendo.
Eu me pergunto se a gente ainda faz tanto sentido. Se ainda tem espaço aí pra mim. Pensei em te ligar pelo menos quinze vezes. Pensei em correr e pedir desculpas por tudo que se foi dito. Pensei em tentar te mostrar pela milésima vez o quanto isso tudo que vem acontecendo não vale de nada e o quão importante você é. -E vai continuar sendo-. Pensei em te mandar uma mensagem escrito "Não deixa a gente se afogar" e entendi que tudo que eu poderia fazer, você também poderia. Continue achando que tem toda a razão que eu continuo de cá calada também. Porque assim como o café, o amor só serve quente.

E apesar de tudo, eu não vou odiar você.